CONAREC 2019. Expandindo as fronteiras do engajamento.

Mais que consumidores. Superconsumidores!

Escrito por | 6 de setembro de 2018 | 9 meses atrás

Eddie Yoon foi um dos keynotes do Conarec deste ano. Ele falou sobre o superconsumidor, uma nova abordagem sobre determinados clientes

O consultor de negócios Eddie Yon se intitula aquilo que ele tem defendido mundo afora: ele é um superconsumidor. Em outras palavras, ele, um sul coreano que mora nos EUA, é um apaixonado por camisetas com estampas havaianas e não abre mão de renovar o estoque sempre que possível.

Ele é CEO da Eddie Would Grow e parceiro do The Cambridge Group na missão de ajudar os CEOs das empresas que compõem o ranking Fortune 500 a impulsionar os seus negócios. Eddie Yoon é considerado um dos maiores especialistas do mundo em estratégias de crescimento. Atualmente, ele percorre o mundo para falar sobre os superconsumidores – tema que colocou o “Superconsumers: A Simple, Speedy and Sustainable Path to Superior Growth” na lista de melhores livros de negócios segundo a renomada revista americana Strategy+Business.

No Conarec, Eddie deu detalhes sobre o seu conceito. Na visão dele, superconsumidores são consumidores apaixonados por um determinado produto e marca e rentáveis para uma categoria específica. Em um recente levantamento produzido por ele sobre centenas de categorias, juntas, elas correspondem por mais de US$ 400 bilhões ao ano. O detalhe curioso é que esse montante representa 10% dos clientes de uma empresa, mas, na prática, correspondem entre 30% e 70% das suas vendas.

“Eu amo camisas com estampa havaiana. Eu gasto muito com esse tipo de categoria e, sinceramente, eu não importaria de pagar por produtos dessa categoria mesmo que houvesse um aumento de 30% do valor de uma hora para outra. Eu pagaria, pois eu sou um exemplo de superconsumidor”, disse.

Ele explica que a onda de novos superconsumidores cresceu exponencialmente nos últimos oito anos. Um dos exemplos desse tipo de consumidor são os gamers. Segundo ele, há exemplos de jogos para smartphones em que menos de 1% dos clientes realmente pagam por determinadas vantagens no jogo ou fazem download de customizações e que, ao mesmo tempo, eles representam mais de 80% do faturamento da empresa.

No entanto, Eddie avisou que identificar esses superconsumidores não é tarefa fácil e exige um grande esforço das empresas. Ele comparou essa jornada aos Big Riders, uma categoria de surfistas que buscam exclusivamente as maiores ondas do mundo. “Eles tem uma rede de informações bem interessante. Quando descobrem que está surgindo uma série de ondas gigantescas, eles não pensam duas vezes: pegam o primeiro avião e seguem com destino a praia. O mesmo vale para consumidores. É preciso observar a corrente sob a onda e o ponto de criação da onda e, assim, verificar se ela é correta para o seu consumidor”, disse.



Top